6 ª etapa – Faramello – Santiago de Compostela – 12 Km

 

Começamos o último dia de caminhada, como todos os outros, bem cedo, restava pouco para caminhar, cerca de 12 a 13 km’s.
O nosso maior desafio deste dia era o tempo, ameaçava chover e poderia ser a qualquer momento. Não estávamos devidamente preparados para a chuva o que foi um erro. Aquando da preparação do caminho a previsão era de tempo soalheiro, sem previsão de chuva, por isso decidimos arriscar e não levamos material para a chuva. Sensivelmente a meio do caminho, na localidade de o Milladoiro, começou a chover de uma maneira que parecia que ia inundar a zona. Decidimos então parar um pouco, mas a zona era um local de residências que mais parecia um local fantasma. Lá encontramos um supermercado e paramos à porta à espera que abrisse. Lembrei-me então de comprar sacos do lixo XXL e enfiar pelo corpo e assim estaríamos protegidos para prosseguir rumo a Santiago, devidamente protegidos. Durante o caminho falaram-nos da chegada a Santiago, que seria algo inesquecível, mas não tivemos essa sensação. Já estávamos na cidade de Santiago e quase nem demos por isso. Antes da chegada à Praça Obradoiro reencontramos o casal de brasileiros que tínhamos conhecido dias antes, foi um reencontro muito caloroso quase de vitória por ambos termos atingido o objectivo inicial. À chegada à praça de Obradoiro, que estava cheia de peregrinos,tivemos uma sensação de alívio, calma e de objectivo atingido mas, como me disse uma vez o amigo Inácio Rozeira, a diferença entre o caminho de Santiago e o caminho de Fátima é o sentimento da chegada. Segundo o Inácio Rozeira quando chegamos a Santiago perguntamos-nos “E agora, para onde vou a seguir?” e quando chegamos a Fátima é a simples sensação de chegada ao destino proposto. Já fiz os dois caminhos e partilho a mesma opinião/sentimento/sensação.
Quando chegamos a Santiago o desejo era de continuar a caminhar, é quase como se o Caminho abrisse espaço para outros “caminhos” na Vida. E digo-vos que abre mesmo. A pessoa que começa o caminho é diferente da que o termina e alcança a meta mas isso só mesmo experimentando para se sentir.
Depois da chegada à praça, enfrentamos a fila de peregrinos para apresentar as nossas cadernetas devidamente carimbadas e levantar a Compostela, documento que atesta que o peregrino percorreu, neste caso a pé, mais de 120km´s até Santiago de Compostela.
Que os relatos que aqui fiz deste dias de caminhada vos inspirem a experimentar esta fantástica aventura.

ultima ultima 3 ultima 1

Aspectos positivos- objectivo atingido, superação de situações imprevisíveis, reencontro de caras conhecidas.

Aspectos negativos – Chuva, falta de material para a chuva, a expectativa criada pela chegada a Santiago.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s